Programa Institucional de Bolsas de Iniciação Científica (PIBIC): levantamento e tratamento de dados preliminares das práticas sociais que promovem autenticidades em meios aos processos hegemônicos de ocupação urbana em Anápolis.

Milena Bahia Lamb, Grazielle Pádua Teixeira, Yolanda Mercedes Schimerski, Sandro de Oliveira Safadi

Resumo


Considerando a importância das pesquisas urbanas no mundo contemporâneo, este projeto conta com o objetivo de dialogar com os conceitos de território e resistência, tendo como objeto de estudo a cidade de Anápolis. Realizou-se uma varredura inicial em busca de dados qualitativos com a intenção de realizar uma análise sobre autenticidade presente em lugares identificados no município. Sendo assim, foi executado um levantamento desses locais, averiguando e selecionando alguns para que se fizesse o cadastramento e entrevista de seus representantes. Foram usados como base teórica autores como Henri Lefebvre (2008), Milton Santos (1996), Rogerio Haesbaert (2014) e David Harvey (2014), que discutem conceitos inerentes ao projeto como: cidade, território e espaço geográfico. Os autores estudados articulam a respeito do tema, para fins de analisar a veracidade de tal local dentro do contexto a tratar de maneira precisa acerca do assunto. O objetivo central se volta para a seleção de locais que possam ser enquadrados na perspectiva de resistência, ou seja, lugares que trazem consigo por meio não físico, mas transcendente, uma personalidade. Transformando o espaço geográfico em volta e as pessoas que neles se relacionam, de maneira que traduzem as características autênticas da cidade. O levantamento dos dados qualitativos foi organizado a fim de que se chegasse as expressões mais comuns nas entrevistas, e os dados quantitativos permitiram reconhecer os locais para que posteriormente fosse feita uma análise crítica sobre resistência na cidade de Anápolis. Com este presente trabalho podemos diagnosticar possíveis locais da cidade que não eram percebidos por serem ultrapassados como a ideia de alfaiate, ou algo muito arcaico como um mercado municipal, pois já possuímos grandes supermercados que vendem de tudo. O processo de resistência se dá por combater este processo de igualização, sendo assim os locais entrevistados se tornam de alguma forma locais de resistência. Os dados preliminares apontam que os lugares classificados como locais de resistência, com maior expressão autêntica, possuem uma influência na memória e na tradição da cidade de Anápolis.


Palavras-chave


Cidade; Resistência; Território

Referências


HARVEY, David. Cidades Rebeldes: Do direito à Cidade a revolução Urbana. São Paulo; Martins Editora Livraria Ltda, 2014.

LEFEBVRE, Henri. O Direito à Cidade. São Paulo; Editora Conexão Editorial, 2008.

SANTOS, Milton. A Natureza do Espaço: Técnica e Tempo, Razão e Emoção. São Paulo; Editora da Universidade de São Paulo, 1996.

HAESBAERT, Rogério. Desterritorialização: entre redes e os aglomerados de exclusão. In: CESAR DA COSTA GOMES, Paulo. Geografia: Conceitos e Temas. Rio de Janeiro; Bertrand Brasil Editora, 2014. Página (165-205).

SANTOS, Milton. O País Distorcido: O Brasil, a Globalização e a Cidadania. São Paulo; Publifolha, 2002.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


ENPEX - Salão de Ensino, Pesquisa e Extensão do IFRS Campus Canoas - ISSN 2359-3202

IFRS campus Canoas - Rua Dra. Maria Zélia Carneiro de Figueiredo, 870-A | Bairro Igara III | Canoas/RS.

Conheça nossos cursos técnicos e graduação: http://ifrs.edu.br/canoas | E-mail: enpex@canoas.ifrs.edu.br