Jogos no ensino de polinômios de segundo grau

Samuel Andrade, Mariana Lima Duro

Resumo


"Mais um dia se passou e eu não utilizei a fórmula de Bhaskara”. Essa frase circula diariamente nas redes sociais. Esse fenômeno pode levantar diversos questionamentos, dentre eles, o questionamento sobre a necessidade do ensino de tal conteúdo para alunos do Ensino Médio. Em contrapartida, os alunos estão cada vez mais digitais, buscando entretenimento em jogos eletrônicos que, muitas vezes, substituem jogos tradicionais. Esse é o caso dos MMORPGs (Massive Multiplayer Role Playing Game), que estão substituindo os RPGs (Role Playing Game) tradicionais, principalmente por possibilitar a interação com pessoas de qualquer lugar no mundo. Se observarmos atentamente, podemos perceber que os estudos realizados por Vygotsky sobre a interação social e o brincar, acabam por valer no ambiente virtual, pois há o imitar o adulto, por haver negociações que são tratadas com seriedade, tal como uma negociação real. Além disso, há diversas relações sociais, considerando que existem regras a serem seguidas e também possibilidades de participação na construção dessas regras. Ainda considerando as questões sociais, deve-se destacar que há a busca do coletivo por um objetivo, com as guildas (grupo de pessoas que se reúnem como um time) e com as trocas de saberes, pois o jogo é demasiadamente complexo para que possa ser aprendido em tutoriais ou similares, fazendo necessário que os jogadores aprendam entre si. Sendo assim, pode-se observar que um MMORPG mostra-se como um ambiente rico de possibilidades para a produção de conhecimento. Nossa sugestão é que o professor utilize esses jogos em sala de aula, como ferramenta para aprendizagem de matemática, agindo como facilitador desse processo, questionando sobre a matemática ali presente, em especial, os polinômios de segundo grau. Acredita-se que práticas como essa ajudarão o estudante a dar sentido à aprendizagem destes conceitos no Ensino Médio. Alguns MMORPGs disponibilizam os algoritmos utilizados para o cálculo das atribuições do personagem, sendo muitos desses baseados em fórmulas simples, polinomiais. Por exemplo, o jogo Mu Online utiliza, em sua maioria, fórmulas que são polinômios de segunda ordem. Nesse contexto, o presente trabalho sugere que o professor de matemática proponha aos alunos compreender esse processo existente por trás do jogo, para que construam builds mais eficientes, utilizando os conhecimentos acerca de raízes dos polinômios (fórmula de Bhaskara) e de coordenadas do vértice da parábola gerada por funções desse tipo. Para isso, os alunos precisarão saber quais são as builds comumente utilizadas, para construir estratégias que superem essas builds. Esse seria um problema com diversas respostas, assim como diversos problemas presentes no mercado de trabalho. Sendo assim, espera-se que esta proposta, além de auxiliar os alunos na percepção da importância do estudo de polinômios de segundo grau, também sirva como oportunidade de desenvolvimento que irá auxiliar em seu futuro profissional, na medida que os leva a buscar soluções para o problema de elaboração de uma build. Por falta de campo empírico, o presente trabalho ainda não pôde ser aplicado para obtenção de resultados práticos, mantendo-se apenas no campo teórico, aplicação esta que permitirá expandir mais o atual trabalho.

Palavras-chave


Jogos eletrônicos; Ensino de matemática; Polinômios

Referências


CERQUEIRA-SANTOS, Elder. Um estudo sobre a brincadeira entre crianças em situação de rua. Dissertação de Mestrado - PPG em Psicologia do Desenvolvimento, UFRGS. 2004.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


ENPEX - Salão de Ensino, Pesquisa e Extensão do IFRS Campus Canoas - ISSN 2359-3202

IFRS campus Canoas - Rua Dra. Maria Zélia Carneiro de Figueiredo, 870-A | Bairro Igara III | Canoas/RS.

Conheça nossos cursos técnicos e graduação: http://ifrs.edu.br/canoas | E-mail: enpex@canoas.ifrs.edu.br