Construção e validação de roteiro de inspeção de segurança para laboratório de ensino e pesquisa

Aymê Duarte Echevarria, Karin Tallini, Dyowanne Hiulei Schmitt, Bárbara Baierle

Resumo


O laboratório de Microscopia do Instituto Federal do Rio Grande do Sul – Campus Porto Alegre (IFRS - Campus Porto Alegre) é um ambiente destinado à realização de aulas práticas de cursos técnicos e de graduação, bem como ao desenvolvimento de projetos de ensino, pesquisa e extensão. A biossegurança é uma condição de segurança alcançada por um conjunto de estudos e ações destinadas a prevenir, controlar, reduzir ou eliminar riscos provocados pelo uso de agentes químicos, agentes físicos e agentes biológicos às atividades que possam comprometer os usuários do laboratório, a comunidade e o meio ambiente. O laboratório de microscopia é classificado com nível de biossegurança 1 (NB-1), onde o risco individual e coletivo são limitados, devido ser um local destinado para confecção e observação de lâminas histológicas vegetais e também, observação de lâminas permanentes animais. O objetivo deste trabalho foi à construção e validação de um roteiro de inspeção de segurança para o laboratório de Microscopia do IFRS – Campus Porto Alegre. O trabalho iniciou com a descrição dos processos de trabalho existentes no laboratório como: equipamentos, instalações, materiais, produtos, resíduos, equipes de trabalho, boas práticas de laboratório e identificação dos fatores de risco. Os resultados desta descrição levaram à elaboração e aplicação do roteiro de inspeção de segurança. O roteiro foi baseado em três trabalhos: nas “Diretrizes Gerais para o Trabalho em Contenção com Agentes Biológicos” (2006), na “Classificação de Risco dos Agentes Biológicos” (2001) do Ministério da Saúde (Secretaria de Ciência, Tecnologia e Insumos Estratégicos Departamento de Ciência e Tecnologia) e em “Biossegurança Aplicada a Laboratórios e Serviços de Saúde” (2006) de M.F. Mastroeni. No roteiro foram elaboradas questões relacionadas aos processos de trabalho de maneira a quantificar o grau de adequação do laboratório às normas de biossegurança. Utilizou-se para cada quesito uma nota, que variou na escala de 1 a 5, sendo 1 totalmente insatisfatório e 5 totalmente satisfatório . Os dados foram expressos por meio de um histograma de frequência. Os resultados mostraram que os itens de “armazenamento de reagentes químicos e materiais”, “descarte de resíduos” e “equipamentos de proteção coletiva” apresentaram resultados insatisfatórios. Já os itens “boas práticas de laboratório”, “prevenção contra incêndios”, “limpeza e condições sanitárias”, “instalações do laboratório e estrutura física do prédio IFRS – Campus Porto Alegre” e “eletricidade” apresentaram resultados satisfatórios. Com a aplicação do roteiro de inspeção foi possível diagnosticar os riscos presentes no laboratório, permitindo que os usuários (alunos, professores, técnicos, estagiários, entre outros) pudessem receber orientações e, consequentemente, prevenir-se com relação a possíveis acidentes de trabalho, do mesmo modo, proporciona incentivo para que os itens com resultados satisfatórios permaneçam adequados e os que foram interpretados com resultados insatisfatórios possam ser corrigidos e aperfeiçoados.


Palavras-chave


Laboratório; Inspeção de segurança; Biossegurança

Referências


ALMEIDA, M.. Boas Práticas de Laboratório. São Paulo: Difusão, 2ª ed. 2013.

ARAÚJO, N. M. C. Capítulo 4: Técnicas de Gestão de Riscos. In: MATTOS, U.; MÁSCULO, F. Higiene e Segurança do trabalho. Rio de Janeiro: Elsevier/Abepro, 2011.

BRUNO, A.N. Biotecnologia I: Princípios e Métodos. Editora Artmed. Porto Alegre, 2014.

MASTROENI, Marco Fábio. Biossegurança aplicada a laboratórios e serviços de saúde. São Paulo: Atheneu, 2006.

MINISTÉRIO DA SAÚDE. Classificação dos Riscos dos Agentes Biológicos. Brasília, DF: 2ª edição, 2010

MINISTÉRIO DA SAÚDE. Diretrizes Gerais Para o Trabalho em Contenção com Agentes Biológicos. Brasília, DF: 3ª edição, 2010.

SPAGNUOLO, R. S.; BALDO, R. C. S.; GUERRINI, I. A. Análise epidemiológica dos acidentes com material biológico registrados no Centro de Referência em Saúde do Trabalhador - Londrina-PR. Rev. Bras. Epidemiol., v. 11, n. 2, p. 315-323, 2008.

TEIXEIRA, P. & VALE, S. Biossegurança: uma abordagem multidisciplinar. 2ªed. Rio de Janeiro: FIOCRUZ, 2010.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


ENPEX - Salão de Ensino, Pesquisa e Extensão do IFRS Campus Canoas - ISSN 2359-3202

IFRS campus Canoas - Rua Dra. Maria Zélia Carneiro de Figueiredo, 870-A | Bairro Igara III | Canoas/RS.

Conheça nossos cursos técnicos e graduação: http://ifrs.edu.br/canoas | E-mail: enpex@canoas.ifrs.edu.br